Grafites criados com a força das árvores para representar o poder da mulher negra

Um artista brasileiro ganhou o mundo com obras que misturam urbanismo, natureza e representatividade negra. Fábio Gomes Trindade ficou conhecido (e muito) por suas artes nos muros de Trindade, cidade próxima à capital Goiana.

Sua arte de rua, que exibe retratos de mulheres e crianças, usando copas de árvores e arbustos como seus belos cabelos crespos. Um deles é baseado em uma foto da modelo Egypt Sarai, dos Estados Unidos. Na imagem, ela aparece com seus cabelos preenchidos pelas flores da árvore Primavera (ou Bougainvillea)

Mural de artista goiano faz sucesso internacional ao mesclar arte e  natureza - Revista Glamour | Must Share

São Paulo ganha mural feito com tinta que ajuda a limpar o ar como 750 árvores. As obras não passam despercebidas nem por quem passa pela Rua 6, no Conjunto Arco Íris, onde fica seu mural mais conhecido, nem por quem se depara com as criações pela internet. Seu trabalho foi compartilhado e curtido por personalidades negras como Viola Davis e Cardi B.

Assim, o trabalho de Fábio ultrapassou rapidamente as redes sociais em todo o Brasil e agora está se espalhando por todo o mundo.

As obras de Fabio podem ser vistas também na galeria em céu aberto localizada na Rua Belas Artes de Trindade, na Rua 202, setor Sol Dourado.

Ela cria grafites usando a força das árvores para representar o poder da  mulher negra | Hypeness – Inovação e criatividade para todos.

Artigo original: https://www.hypeness.com.br/2021/09/ela-cria-grafites-usando-a-forca-das-arvores-para-representar-o-poder-da-mulher-negra/

Relatório de Sustentabilidade – Setembro 2021

Onda lovers, a edição de setembro foi dedicada ao assunto que merece nossa prioridade: a saúde! Clique aqui e confira o depoimento de dois renomados profissionais da área de medicina e psicologia a convite da Onda. Precisamos organizar o nosso planeta, nossa casa e nossa mente. Isso é sustentabilidade!

Além disso, mergulhe no esporte com os surfistas Noah e Lukinhas. A conexão com a natureza nos aproxima ainda mais dela. Por isso, vem aí um spoiler: vamos compensar as emissões de gases em 2020 medidas com base no Inventário de Gases de Efeito Estufa. Fique ligado!

Para os pais e mães de pet: temos uma nova parceria com o portal de notícias Meio Sustentável com dados alarmantes sobre a saúde dos nossos bichinhos!

Por fim, mas o que já era esperado: o sabão em barra Mundo + Limpo é sucesso! Nossos clientes amaram a eficiência tanto quanto a história desse produto. Limpar assim fica muito mais gostoso…

Por hoje é só, e até mês que vem (comemorando o aniversário da Onda!!!) 🙂

Refugiados climáticos: 17 milhões de pessoas na América Latina poderão ser forçadas a migrarem até 2050

Relatório do Banco Mundial alerta que, ao todo, 216 milhões de pessoas poderão ter que deixar suas regiões por causa das alterações do clima.

O Banco Mundial publicou um alerta preocupante sobre os efeitos das mudanças climáticas na vida dos seres humanos já para os próximos anos: 216 milhões de pessoas em seis regiões do mundo, incluindo a América Latina, poderão ser forçadas a se mudarem de seus países até 2050 para fugirem de eventos climáticos adversos.

De acordo com o relatório “Groundswell”, publicado no dia 13 deste mês pelo Banco Mundial, as pessoas serão forçadas a se mudarem das suas regiões por causa, principalmente, de:

  • Escassez de água
  • Diminuição da produtividade no campo como um todo
  • Temperaturas muito elevadas (estresse térmico)
  • Aumento do nível do mar, o que levará a perda de terras
  • Eventos climáticos extremos, como tempestades

A região mais afetada deverá ser a África Subsaarinana, concentrando quase 40% dos migrantes climáticos (86 milhões) das próximas três décadas. Na sequência aparece o Leste Asiático e Pacífico, com 22,6% (49 milhões) das futuras migrações do tipo.

A América Latina também é classificada como área de alerta, de onde deverão sair 17 milhões de migrantes climáticos até 2050, mais de 7% do total para o período. Demais populações que deverão sofrer com as alterações do clima estão no Sul da Ásia, Ásia Central, África do Norte e a Europa Oriental.

O vice-presidente de Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, Juergen Voegele, aponta que os mais afetados pelas mudanças climáticas já são e continuarão sendo os mais pobres do mundo, justamente “aqueles que menos contribuem para suas causas”.

Porém, ele lembra que os efeitos do aquecimento global são sentidos por todos.

“Os impactos das mudanças climáticas são cada vez mais visíveis. Acabamos de viver a década mais quente já registrada e estamos vendo eventos climáticos extremos em todo o mundo, com mudanças no clima da Terra ocorrendo em todas as regiões”, diz Voegele.

O Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas também apontou a América Latina como área de preocupação para as mudanças climáticas nas próximas décadas. Entre as projeções para a América do Sul estão:

  • Crescimento na duração das secas no Nordeste brasileiro;
  • Redução nas chuvas no Nordeste da América do Sul (Nordeste do Brasil) e Sudoeste da região (Chile e sul do Peru).
  • Crescimento da seca, da aridez e/ou das queimadas no sul da Amazônia brasileira e em parte do Centro-Oeste.
  • Número de dias com temperaturas máximas superiores a 35°C na Amazônia aumentarão em, no mínimo, 60 dias por ano até o final do século (podendo passar de 150 dias em um cenário mais extremo);
  • Mudança no regime das monções no sul da Amazônia brasileira e em parte do Centro-Oeste, com atraso nas chuvas torrenciais;

Janela de oportunidade

Apesar dos alertas, o documento conclui que, caso os países em todo o mundo adotem medidas imediatas para reduzir as emissões globais dos gases de efeito estufa, apoiar o desenvolvimento sustentável e restaurar seus ecossistemas, os fatores que impulsionam a migração climática poderão ser reduzidos em até 80%. Ou seja, a migração climática poderá ser reduzida para 44 milhões de pessoas em 2050.

Autor: Laís Modelli, G1

Para acessar o artigo original, clique: https://g1.globo.com/natureza/noticia/2021/09/13/refugiados-climaticos-17-milhoes-de-pessoas-na-america-latina-poderao-ser-forcadas-a-migrarem-ate-2050.ghtml

FECHAR
Comprar
Converse com a gente no WhatsApp